Nesta quinta-feira à noite, e na madrugada de sexta-feira, as selecções da América do Sul disputam a 9ª jornada da fase de qualificação ao Mundial 2018, onde poderemos assistir a uma Argentina que enfrenta o Perú, em solo peruano, sem o astro Leo Messi. Enquanto que o líder da tabela Uruguai tem o prazer de receber a última classificada Venezuela.

Equador – Chile

Bicampeão em título da Copa América está a ter dificuldades nesta etapa de qualificação.

Bicampeão em título da Copa América está a ter dificuldades nesta etapa de qualificação.

O Equador encontra-se melhor classificado que o Chile nesta etapa de qualificação, ocupando 5º lugar com 13 pontos, 2 a mais que o 7º classificado Chile. Apesar das actuais posições da tabela de classificação geral, este Equador ainda não venceu nenhum dos 4 encontros desta prova neste ano 2016, empatando na recepção ao Paraguai, e perdendo contra a Colômbia, Brasil e Perú, já para não falar que agora terá de enfrentar o bicampeão da Copa América.

Ainda assim, o Chile chega aqui com um registo pouco melhor, já que nos seus 4 jogos discutidos neste prova, desde o início do ano, venceu apenas 1, contra a Venezuela, perdendo para a Argentina e para o Paraguai, e empatando com a Bolívia. Apesar do defesa Gary Medel e do médio Matías Fernández falharem esta convocatória, a selecção chilena continua segura com jogadores como Bravo na baliza, Vidal e Aránguiz a orientarem o meio-campo, e com Alexis Sánchez, em grande forma, e Eduardo Vargas na frente de ataque.

Peru – Argentina

Argentina sem o o capitão Leo Messi.

Argentina sem o o capitão Leo Messi.

O Peru tem apresentado dificuldades em se impôr às restantes selecções desta prova. Com apenas 7 pontos, os peruanos estão em igualdade pontual com a 8ª classificada Bolívia, e chegam aqui depois de vencerem o Equador na última jornada da prova, somando a sua 2ª vitória. Ainda assim, desde o início do ano, estes já empataram com a Venezuela, e perderam para o Uruguai e Bolívia. Na convocatória peruana ficou de fora o extremo do Benfica, André Carrillo.

A Argentina está lançada nesta etapa de qualificação e é, a par com o Brasil, a única selecção que foi derrotada apenas uma vez nos 8 jogos disputados. Os argentinos contam já com 15 pontos somados, tal como os brasileiros, encontrando-se assim apenas a 1 ponto do 1º lugar ocupado pelo Uruguai, o que tornam estes 3 pontos imprescindíveis. Para este encontro, o técnico Edgardo Bauza parte para o Perú sem o astro Leo Messi, Javier Pastore e Lucas Biglia. Ainda que sem estes jogadores, e muitos outros, a Argentina é uma selecção composta por jogadores de renome, com a maioria deles a alinharem em gigantes europeus, não restando dúvidas da sua superioridade em relação a este seu oponente,

Uruguai – Venezuela

Cavani é o melhor marcador desta fase de qualificação.

Cavani é o melhor marcador desta fase de qualificação.

O Uruguai é o líder da tabela nesta etapa de qualificação, embora conte com apenas 1 ponto a mais que o Brasil e Argentina, 2º e 3º classificados, apresentando já um bom registo desde o início do ano, vencendo o Peru e Paraguai, empatando com o Brasil e perdendo apenas para a Argentina. Com este recepção ao último classificado da prova, os uruguaios não esperam grandes dificuldades, e quanto à convocatória, sobressai a Maxi Pereira que não fará parte do plantel. Importa referir que ofensivamente, a par com o Brasil, esta é a selecção mais poderosa da tabela, contando ainda com a defesa menos batida. Cavani está em grande forma, liderando a tabela de melhores marcadores com 5 tentos assinalados, com Carlos Sánchez a ser o jogador com mais assistências feitas (3).

A Venezuela chega aqui em maus lençóis, sendo a selecção mais fraca que aparece nesta etapa de qualificação, estando ainda por somar a primeira vitória. Os únicos 2 pontos que tem somados são fruto de empates com o Perú e Argentina, surpreendentemente. O treinador Rafael Dudamel convocou 3 jogadores que alinham em equipas portuguesas, Velázquez, do Arouca, Víctor García, do Nacional da Madeira, e Jhon Murillo, do Tondela.

Brasil – Bolívia

Marcelo e Casemiro são duas baixas de peso para os próximos dois jogos.

Marcelo e Casemiro são duas baixas de peso para os próximos dois jogos.

Tal como a Argentina, o Brasil está apenas a 1 ponto do líder Urugai, o que torna obrigatório vencer esta partida. Com apenas 1 derrota nesta prova, logo na 1ª jornada em terreno do Chile, o Brasil chega aqui motivado, sendo que ainda este ano derrotaram a Colômbia e o Equador, empatando com o Paraguai e Uruguai. Sob os comandos do técnico Tite, este Brasil tem aqui uma boa ocasião de tirar proveito de uma selecção teoricamente mais fraca e reforçar a sua pontuação nesta etapa de qualificação. De fora para este jogo, destacam-se Marcelo e Casemiro, do Real Madrid, e ainda Douglas Costa, do Bayern de Munique, também lesionado. O ponta de lança Gabriel Jesus, do Palmeiras, está em destaque, marcando em todas as suas presenças até agora (2). Wendell, do Bayer Leverkusen, está convocado, ainda por se estrear ao serviço do seu país, tal como Carioca, do Atlético Mineiro, Fagner, do Corinthians.

A Bolívia está no mesmo impasse que o Peru, ambos com 7 pontos, e chega aqui já com 2 derrotas sofridas este ano, contra Colômbia e Argentina, vencendo o Peru e empatando com o Chile. As dificuldades perante o Brasil são óbvias, já que para além de estarem fora da sua zona de conforto, não contam ainda com um plantel do mesmo calibre que o Brasil. Dos 30 jogadores chamados aos jogos de qualificação contra este Brasil e contra o Equador, no dia 11, apenas 4 alinham em equipas fora do Brasil.

Boas Apostas!